Modalidades do Skate

Modalidades do Skate! Todas as Modalidades do Skateboard: Street, FreeStyle, Vert ou Vertical, Bowl, Downhill Speed,e Slide, Longboard, Slalom e nas Olimpíadas o Street e o Park!

As modalidades do Skate!

Não tem como falar das modalidades do skate sem falar um pouco da História do Skate.

Mas não vamos entrar aqui em quando o skate surgiu, mas que ele veio dos patins, ele veio! Skateboard, ou seja, skate(Patim em inglês) + Board(Prancha, tábua…). As pessoas adoravam patinar na década de 1880 e desde lá o skateboard começa a aparecer em diversos formatos descendo ladeiras, fazendo malabarismos e andado pelas ruas.

Skatin Club no ano de 1880
Skate feito em casa 1950

Skate de compensado. Acervou Filme Uretano no Asfalto.
Skate começando nos anos 50
Central Park – NY – 1960.foto: Bill Eppridge

É melhor começarmos por onde a coisa começou mesmo a pegar!

Nos verões da Califórnia dos anos 50/60! Naquela época o skate já existia no imaginário dos surfistas. Então para quebrar o marasmo guando não tinham ondas, nada mais fácil do que fazer era descer as ladeiras a milhão em qualquer coisa sobre quadro rodinhas e dai surgiu o Downhill, e como a gente gosta de dificultar, colocaram uns cones para fazer uns slalom(Ziguezague). E quando não tinha ladeira ficar a galera ficava papeando e fazendo umas manobras solo com o estilo livre, o Freestyle.

Pat e Mike O’Neill em 1959 andando de skate na frente da loja de surfe do pai em Santa Cuz. Foto: Cedida por O”Neill.
Downhill skateboarding com elementos do Surf
Downhill Sakeboarding no pier de Del Mar

O Downhill prossegue até hoje, só que com diversas variantes!

O DHS ou Downhill Slide, que é descer as ladeiras a milhão derrapando nas laterais para diminuir a velocidade, ou para dar uma das diversas manobras do slide, ou pegar mais gás, porque “Downhill é gás”, para dar uns 360,720,1440, de tail, nose, com pé, sem pé! Somos os melhores do mundo e é por isto que Grito da Rua adora o DHS, confiram aqui o porque.

Mas o Downhill não para por ai, tem o Speed, que é descer as ladeiras na maior velocidade que for! E saibam que nós temos um Campeão mundial, o Dalua!

E ainda, dentro do DHS, surgiu o Longboard, que são skates mais longos, que inicialmente era para velocidade, mas que a galera resolveu fazer tudo que pode e não pode com um longboard e começaram a fazer manobras de DHS, Street, o Classic, que é um surf no pranchão e o Dancing, que é o freestyle do long! Tem até o Longboarding Day!

Slalom Skateboarding nos anos 70

Já o Slalom continua vivo e hoje em dia está super pro, com skates desenhados especificamente pro slalom, porém is very spensive. Ou seja, é para poucos, pois são muito caros, mas vocês podem vera aqui. Ou seja, é para poucos, pois são muito caros, mas vocês podem vera aqui.

Mas…

No inicio dos anos 60 o skate estava bombando. As modalidades do skate eram até então o Downhill, o slalom e o freestyle. Mas de repente a “moda” acabou, assim como tinha acabado a do bambolê.

1972, Frank Nasworthy inventou as rodas de uretano Cadillac Wheels. Em 1975 acontece o Del Mar Nationals, uma competição de slalom e estilo livre onde surge a equipe Zephyr, com suas camisetas e tênis azuis da Vans, mostrando ao mundo o que o skate poderia ser. Entre eles estavam o Tony Alva, Jay Adams e Stacy Peralta.

Estava rolando uma seca monstro na Califórnia que proibiu a população de encher as piscinas. E quando a galera de Dogtown, os Z-Boys, viu aquelas piscinas vazias, eles começaram a invadir as piscinas e começaram a inventar um monte de manobras naqueles bowls.

Mas eles eram uma máfia que dominava tudo e era bem difícil de participar e muitas vezes fugir da polícia. O que sacramentou aquela imagem de bad boys deles.

Backyard pool coping in San Francisco Photograph: Hugh Holland
Invasão de skate nas Piscinas da California

Com isto começaram a galera começou a construir quaters, rampas em U e dai surgiu o Vertical Skate ou o Vert Skate, de onde surgir o primeiro Ollie, dado por Alan Gelfand.

A era das Rampas de skate 2
A era das Rampas de skate 1

Parecia que o skate ia finalmente trilhar um caminho seguro, mas começaram as críticas que o skate era perigoso, os valores de seguros dispararam, as pessoas começaram a andar menos e os skateparks começaram a fechar.

Assim o skate começou a se tornar um movimento underground, anti-establishment o que ajudou o skate a cair novamente. Mas, que por outro lado, acabou sendo a imagem que ajudou a ressurgir e a ter uma identidade própria. Surge a Powell e Peralta que interpretou tudo isto quando montou a Bones Brigade.

Dentro desta crew tinha um garotinho chamado Rodney Mullen, que tinha seus problemas familiares, como o pai que não queria que o filho andasse de skate, mas que os ajudaram a revolucionar o freestyle e o Street Skate.

Ele pegou o Ollie que Alan Gelfand havia aperfeiçoado no skate vertical e o perfeiçoou em solo plano, criando diversas tricks novas, entre elas o kickflip e o heelflip. O ollie flatground é a base do skate de rua hoje e é que é mostrado no Filme Bones Brigade da Powell e Peralta. Era o que faltava para o skate conquistar o mundo!

Aqui no Brasil as coisas, como de comum, vieram um pouco mais tarde, mas vivemos estes momentos todos. A primeira fase, dos anos 70, é bem retratada no Filme Uretano no Asfalto. Este momento Bones Brigade fez surgir a Mustabí Creize, pois lá que a gente, a máfia, via os filmes. Que fez surgir o Grito da Rua, de uma maneira ou de outra. Quando veio a crise do Governo Collor.

Nos anos 90 surge uma nova geração que parte para o mundo conquistando títulos, Bob Burnquist surgi para mostrar os skateboard brasileiro para o mundo. O que é bem retratado no filme Vida Sobre Rodas.

Surge a CBSk o skate nacional se organiza. Bob vira o presidente, o skate passa a ser um esporte Olímpico e surgem as novas modalidades de competição: O Park e o Street, com características de julgamento bem diferentes. Que a gente vai ver mais adiante. Aqui!