Skate nas Olimpíadas | Canal Off faz Debate | Esporte ou Estilo de vida!

Entenda a caminhada e as diferenças entre a rua e o pódio.

O Skate fez o maior sucesso nas Olimpíadas, alcançou grande popularidade no mundo e nas mídias, como por exemplo no Canal Off. O show de manobras e também o reconhecimento abriu um debate sobre a chegada do skate como esporte olímpico.

Quem assistiu pela primeira vez teve uma impressão esportiva mixada aos momentos de diversão, amizade e celebração. Alguns encaram essa ideia como uma oportunidade, outros discordam e acreditam que o skate está partindo para um caminho que foge da sua essência.

E aí? O skate precisa das olimpíadas ou as olimpíadas precisam do skate? O skate pode alcançar mais destaque como esporte olímpico ou isso interfere no lifestyle? Vamos explicar todas essas ideias e os dois lados dessa moeda.

O Skate nas Olimpíadas versus o Skate das Ruas. Parte 1: debate no Canal Off.

Em 2021 o skate se tornou um esporte olímpico. Foi a primeira vez que entrou em cena na competição mais clássica, através dos jogos olímpicos de Tokyo 2020.

O Brasil esteve presente nos pódios com medalhas de prata nas modalidade Street e Park. Foi uma conquista incrível para um país que tem poucos recursos favoráveis ao skate, como mostra a abertura do vídeo.

No início do vídeo sobre o skate nas Olimpíadas no Canal Off, o skatista profissional Lucas Xaparral, comentou que as pessoas entenderam que o skate não é coisa de vagabundo:

Conseguiram tratar o skate como uma coisa positiva, legal e entenderam um pouco do nosso universo” – Lucas Xaparral

Na foto a seguir vemos o carinho das skatistas durante a competição do Park nas Olimpíadas. As skatistas correram para dar um abraço na Misugu Okamoto (de laranja) após ela errar uma manobra, cair e começar a chorar. Esse apoio mostra como o skate é positivo e mesmo em uma competição a amizade prevalece.

O Skate nas Olimpíadas: Misugu Okamoto, Brett Wettstein, Poppy Starr Olsen e Yndiara Asp / Foto: Jamie Squire / Getty Images

Lifestyle – O estilo de vida de dos skatistas

A cena do skate está presente e se concentra nas ruas das cidades. Os skatistas utilizam os espaços urbanos como escadas, calçadas, corrimão, bordas de bancos para mandar diversas manobras. Lugares que passariam despercebidos aos olhos dos cidadãos se tornam um pico perfeito.

Luan Oliveira/ Pivot to fakie/ Foto: Pablo Vaz

Nesses lugares reina a alma e as origens do estilo de vida que ainda é encarado como contra-cultura e que foge dos padrões aceitos pela sociedade. Realmente é algo que precisa ser vivido para ser compreendido, pois é difícil explicar para uma pessoa que o prazer está na expressão.

Andre Hiena Skatepark. Pista de skate criada pelos skatistas locais leva o nome em homenagem ao skatista que fortalecia a cena e os amigos. Foto: Jr Lemos / Tribo Skate

O fotografo Heverton Ribeiro comentou sobre seu ponto de vista a respeito do skate nas olimpíadas no Canal Off. Ele acredita que o skate dita tendência, música, comportamento e que todos querem consumir o skate de alguma forma mesmo sem praticar. Segundo ele, não deveriam ter pedido para colocar o skate nas olimpíadas:

É uma conta que não fecha, é uma coisa que não bate. A gente é contra-cultura desde sempre. É isso que é o skate! É você sair do formato padrão e expressar sua arte!” – Heverton Ribeiro.

Para você entender melhor esse comentário dê uma olhada com atenção no vídeo abaixo:

Skate como forma de negócio

Nas ruas surgiram empresas inovadoras que valorizam a liberdade de expressão e a criatividade. Diversos nomes/ marcas ganharam respeito e admiração por mostrarem a sua própria voz. Esses skatistas ou empreendedores (e até mesmo os dois) criaram sua própria forma de sobreviver fazendo aquilo que os deixam mais felizes: andar de skate.

A Vans é uma das empresas mais clássicas e que sobrevive até hoje como um nome de peso:

Aos nossos olhos um conjunto de fatores são indispensáveis: O simples barulho da rodinha e do shape batendo no chão, a celebração de cada manobra (mesmo se for de alguém que não conhecemos) independente do acerto ou grau de dificuldade, a presença e a parceria dos amigos, a criação da própria identidade visual através das vivências. Tudo isso mostra que o skate, por mais que pareça ser individual, é o estilo de vida mais coletivo que existe. Observe nessa “Intro” da Volcom Stone:

Esses são apenas alguns exemplos de marcas que sobrevivem de forma independente. Se por acaso você está chegando nesse mundo agora. Acompanhe o Grito da Rua. Por aqui você vai conhecer não só as marcas, mas também tudo relacionado ao skate.

Os atletas do skate Olímpico e competidores

Apesar da liberdade ser o nosso lema, existem os skatistas que tem um estilo de vida direcionado as competições. Nesse caso exige uma preparação específica e um pouco mais regrada. Muitos seguem esse caminho pois é a forma que encontraram para ganhar patrocínio e poder andar de skate todo dia, outros por gostarem de competir e se sentirem confortáveis nesse espaço. Dora Varella falou sobre a rotina de treinos e preparação física. Assim como ela, todos os atletas se seguem uma rotina de treinos e fisioterapia:

Cesinha Chaves comentou que esse formato exige uma maior preparação, pois o skatista tem que ter uma vida regrada e saudável para conseguir o desempenho que o campeonato exige. Além dele o presidente da CBSk (Confederação Brasileira de Skate) Eudardo Musa falou a respeito do formato de competição Olímpico.Ele disse que a galera entendeu a ideia de que é necessário seguir essas regras.

Durante a caminhada olímpica (competições que levaram a Tokyo) não houve nenhum caso positivo de Dopping (uso de substâncias ilegais e que podem favorecer de alguma forma o desempenho).

O Skate nas Olimpíadas é o futuro? Parte 2 debate no Canal Off.

De uma forma ou de outra o skate se tornou grandioso e popular em uma proporção que é impossível de se controlar. Ele está presente em todo lugar e nos direciona para diversas artes. A música, as formas de comunicação e as tendências que surgem através do skate viram “referência”. Não há como evitar, é mais forte do que se pensa e chama a atenção por onde passa. Essa grande família já esteve (ou se você for mais abençoado está)  diante dos seus olhos.

O skatista Lucas Xaparral e o criador de conteúdo Tobias Sklar relataram no vídeo que o skate nas olimpíadas foi uma grande oportunidade para os atletas que competiram e também para os skatistas de forma geral, por conta da visibilidade. Eles acreditam que a forma como o skate foi apresentado nas olimpíadas valoriza e da suporte financeiro a todos que vivem do skate.

Alguns países como por exemplo o Japão, criaram um incentivo para a construção de novas pistas de Street e Park, além de estímulos  para a profissionalização do esporte por todo o país. Essas oportunidades são essenciais e contribuem para o desenvolvimento de novos skatistas. Tudo isso surgiu através da grande caminhada até o reconhecimento nos Jogos Olímpicos de Tokyo 2020.

Skating in Japan

Essa discussão tem fim?

O debate sobre o skate nas olimpíadas no Canal Off mostrou muito bem os dois lados da história e não tomou posição  favorável ao skate como estilo de vida ou como esporte olímpico. No entanto afirmaram que independente da forma, o skate deve ser praticado sempre com respeito ao próximo. A skatista Monica Torres seguiu a mesma lógica:

Cada um tem que criar seu próprio caminho, acreditar naquilo e fazer!” – Monica Torres

Ela ainda disse que o skate como estilo de vida não mudou e que as olimpíadas também não mudará isso. Monica também destacou que o sonho dela era andar de skate com a galera que assitiu nas video partes antes de ser profissional.

Outros skatistas que também são referência como por exemplo Karen Jonz, Isadora Pacheco, Letícia Bufoni, Felipe Gustavo e os entrevistados que já citamos comentaram sobre seus skatistas favoritos. A maioria citou a galera do Dogtown; Tony Alva, Stacy Peralta e Jay Adams que foram os precursores do skate.

Citaram ainda as lendas do Vert: Tony Hawk, Christian Hosoi e Bob Burnquist. Também o pai do Freestyle: Rodney Mullen. Além dos famosos jogos de video-game que também contribuíram para a popularização do skate:

Independente de onde essa história vai parar, o legado de humildade, persistência e transformação criado pelos skatistas vai sobreviver. O skate é único em todas as suas formas!

Queremos saber a sua opinião a respeito!

Inscreva-se no Grito News!
Com as Novas do Skate!
Share
Dá um Grito aqui!

Leave a Reply

Your email address will not be published.

The field is required.