Andrew Reynolds Life On Video | Psycho Street Skate Man!

“Assim que descobri o skate … todo o resto parou.”

Este é Andrew Reynolds relembrando a época de sua vida em que sua identidade mudou oficialmente para “skatista”. Seu ponto de inflexão foi o resultado de fatores que se cruzaram e se entrelaçaram ao mesmo tempo, mas uma de suas maiores influências também foi a mais  impensada: pegar um comercial da Vision na TV para o vídeo “Psycho Skate”. Reynolds diz: “Algo neste video foi mais legal do que qualquer coisa que eu já tinha visto”.

“A ideia de que um dos skatistas mais progressistas do mundo foi inicialmente instigado para andar de skate foi por um vídeo dos anos 80 como “Psycho Skate” é chocante. Faz você perceber que Reynolds é um dos poucos que realmente guiou o skate, criando um caminho e inovando uma linguagem visual que moldou nossa cultura; quando se trata de tendências duradouras, Reynolds é um líder indiscutível. Mas como The Boss subiu a escada? Nosso terceiro Life On Video, retirado de uma extensa série de entrevistas em 2016, explora a história do homem por trás do império Baker. Pela primeira vez, todos os cinco episódios foram compilados em uma edição.” Por The Berrics.

Andrew Reynolds e suas bases!

Andrew Reynolds (06-06-1978) nasceu na Flórida, começou a andar de skate aos nove anos(87). Quando questionado sobre o que o inspirou a andar de skate, Reynolds disse que realmente amou o vídeo Psycho Skate da empresa de skate Vision (famosa por seus streetwear e decks de skate), que passava comerciais na MTV do filme, com clipes de skatistas famosos da época, sua mãe notou o seu interesse pelo skate, guando comprou o seu primeiro skate e graças a ela competiu por toda a Flórida no Amateur Skateboard League (FASL)

E não podemos deixar de ressaltar que este vídeo da Vision influenciou uma geração de skatistas e se você não viu ainda, não pode deixar de ver [aqui] no Grito da Rua, que lógico, também fomos influenciados.

O Street Skateboarding entra em sua vida

Clay King e Robbie Bassford, são os companheiros de sessions a quem ele credita por tê-lo apresentado ao street skate. Já em 1990, ele começou a fazer vídeos amadores de skate com a filmadora de sua mãe, o que deu início à sua obsessão por vídeos de skate. Época que era patrocinado pela The Cove skate shop na Flórida e pela G&S skates.

Reynolds mudou-se para Huntington Beach, Califórnia, foi fortemente influenciado pelos skatistas profissionais Chad Muska e Tom Penny. Após um telefonema de Tony Hawk, Reynolds juntou-se à nova equipe de skate de Hawk, na Birdhouse. Reynolds afirmou que Hawk contatou Reynolds apesar de saber pouco sobre Reynolds ou suas habilidades no skate.

“Para mim, foi uma viagem e tanto quando me disseram: ‘Os ams [amadores] da Birdhouse vão ser você e Ocean Howell.’ E eu tipo; ‘Eu! E o cara, do vídeo da H. Street, com a música do Doors e tudo mais ?!’ Eu estava tipo, ‘Oh my God!’ Não está certo. Um garotinho de uma cidade caipira e o outro é Ocean Howell? Está errado. Era muito errado. No começo, quando o conheci, eu era apenas um fã. Mas então nos tornamos amigos. Ele pegava uma garota em cada demo quase e eu fiquei… pasmo! Eu pensei, ‘Cara, como ele faz isso? Ele é tão cool.'”

O skatista profissional e gerente da equipe Emerica, Heath Kirchart revelou em 2007 que via Reynolds como seu competidor, já que Reynolds foi recrutado para Birdhouse. Kirchart explicou mais:

“Eu não digo isso para muitas pessoas. Mas houve um ponto, lembro-me de quando estávamos filmando The End, quando ele deu um kickflip de nose na UCI de dez degraus. Eu pensei; “Puta merda! Espero que eu consiga fazer isso.” E eu não fiz. Mas foi a minha chegada; “Uau! Ele é melhor do que eu.” E desde então tem sido muito melhor do que eu. Ele não é apenas melhor do que eu – ele é muito melhor do que eu.

Em 1998, Reynolds apareceu no quarto vídeo do Birdhouse, The End, com uma seção de sua filmagem do Bro Bowl em Tampa.

Reynolds e sua visão do que fazer sendo um Pro! A Baker!

Em 2000, Reynolds deixou a Birdhouse e começou a marca Baker com Jay Strickland; a empresa recebeu o nome de um estilo de vida no qual uma pessoa “fica chapada” (fuma muita maconha ) e anda de skate todos os dias. Em 2007, Reynolds forneceu um relato detalhado do início da empresa:

“Bem, eu estava morando em Huntington, andando pela Birdhouse. Nós apenas pensamos entre nós; todas essas empresas são realmente “coxas”. Birdhouse não promove “ações”, sabe o que quero dizer? Zero, ela não está promovendo o que somos. Nós nos encontramos com Jay Strickland e começamos a contar a ele sobre nossas idéias. “Queremos fazer algo. Queremos fazer uma empresa.” E nós pensamos, “Todos nós, juntos.” Foi uma grande bagunça. Ai eu fui e conversei com Tony Hawk e Per Welinder – “É que eu me demito e pego um bando de caras e faço algo ou vocês me ajudam a abrir uma empresa”.

A marca de Skate Baker assinou um acordo de distribuição com a Blitz Distribution, empresa que, na época, distribuía Birdhouse e outras marcas, como Fury e Hook-Ups (a Blitz havia sido formada originalmente por Per Welinder e Hawk para distribuir seus próprios produtos ). Em 2008, a marca era a marca mais vendida sob o guarda-chuva Blitz Distribution. Reynolds divulgou publicamente que todos os membros da equipe Baker, incluindo ele mesmo, recebiam a mesma remuneração: “Eu recebo o mesmo que Braydon. Dustin tentou pedir mais dinheiro uma vez … Tive que dizer a ele, tipo, todo mundo recebe o mesmo … não há favoritismo.”

A empresa então se separou de Blitz e, em 2007, Reynolds e outros skatistas profissionais, Jim Greco e Erik Ellington, estabeleceram a Bakerboys Distribution para distribuir a marca Deathwish. A distribuição da Baker foi então gerenciada pela Bakerboys em 2011. Em julho de 2014, a Bakerboys distribuia sete marcas, algumas das quais pertencem a antigos e atuais membros da equipe Baker. No Brasil aqui!

Andrew Reynolds na Emerica

Em novembro de 2018, Reynolds lançou treze modelos de calçados exclusivos com a empresa de calçados para skate Emerica: The Reynolds 1, The Reynolds 2, The Reynolds 3, The Boss, The Reynolds Light, The AR Slim, Reynolds Cruisers, The Reynolds Classics, The Reynolds , O Reynolds baixo, o Reynolds Low Vulc, o Reynolds 3 G6 e o ​​Reynolds G6. Mas em setembro de 2019, Reynolds e Emerica anunciaram que haviam se separado.

Altamont Vestuário

Em 2006, Reynolds colaborou com a Sole Technology, proprietária da marca de calçados Emerica, no empreendimento conjunto de roupas para skate Altamont Apparel. Durante o evento de lançamento, realizado no autódromo Altamont Speedway , Reynolds afirmou que se inspirou no espírito de rebelião e liberdade que havia definido o show dos Rolling Stones no autódromo em 1969. Para o lançamento, um seleto grupo de varejistas, jornalistas e membros da comunidade do skate foram levados em limusines ao Altamont Speedway, onde ouviram Reynolds falar sobre a marca e participaram de seu lançamento.

Em colaboração com a direção criativa de Reynolds, o designer-chefe da marca é o artista inglês FOS, que também é dono da marca de skates Heroin. Em outubro de 2012, a equipe da marca inclui Mike Watt, Brian Hansen, Neen Williams, Kenny Hoyle, Jon Dickson, Justin Figeroa e Bryan Herman. Os ex incluem Garrett Hill e Theotis Beasley, tiveram uma linha de roupas exclusiva da Beasley lançada no início de 2012.

Desde setembro de 2019, Andrew Reynolds é patrocinado por Baker Skateboards, Vans, Spitfire Wheels, Brigada, Independent, Shake Junt, Stance.

Eu não sei porque, mas eu acho que Psycho Man é o Andrew Reynolds e pronto!

O Deck com o criativo e colorido desenho Psycho foi lançado pela americana Vision Skateboard em 1986/87. O Deck(30.5 x 10) sem assinatura de nenhum profissional da Vision foi um dos mais vendidos. Tanto que em 1987 eles relançaram em tamanho mini(para crianças) Arte é do desingner Andy Takakjin .Colecionadores adoram este deck.

MADNESS “Loucura”

Chamado de “MADNESS” pelo próprio Andrew Reynolds, ele experimenta uma “condição” ao andar de skate que foi percebida como uma forma leve de transtorno obsessivo-compulsivo , embora um diagnóstico oficial não tenha sido confirmado. Em um episódio de 2007 do programa online “Epicly Later’d”, o canal Vice no YouTube retratou um exemplo da “Loucura” enquanto Reynolds estava filmando uma manobra em San Francisco; “E ele vai subir até o topo e bata na parede três vezes. E então ele vem e verifica a área onde a trick está sendo executada novamente. Ele vai dizer, ‘Lance, Beagle, Mike’ … pronto? Reynolds! ‘Lance?’ … ‘Beagle?’ … ‘Mike?’… Reynolds explicou na entrevista do Vice:

Tipo, antes de ir para a cama à noite, eu vou até a porta e tranco … nove vezes, mas, tipo, três, três, três; três, três, três; três, três, três; e eu faço isso … três vezes. E, então, às vezes eu fico deitado e, tipo, “Eu fiz isso?”, e eu volto. E então é uma vez que eu faço isso, então tem que ser o nove, a coisa toda – três, três, três, três, três, três – três vezes. E, então, se eu errei e fiz isso, então terei que fazer a coisa toda três vezes. Você sabe o que eu quero dizer?

Como parte do lançamento do DVD do vídeo Stay Gold da Emerica , uma seção de bônus sobre “Madness” foi incluída. Enquanto assiste a uma filmagem de seu comportamento antes da manobra, Reynolds afirma:

“Não sei o que estou fazendo aqui. Ha ha. Não sei. Tipo, se você tivesse me contado, se alguém tivesse me dito: ‘Você enrolou, sem tentar um nose grind, vinte ou trinta vezes, eu diria: “Nuh. Você está errado.”

O skatista profissional e companheiro de equipe Jerry Hsu explicou no mesmo vídeo:

Bem, ultimamente, ele esta gostando de ser saudável e fazer exercícios. Estou morando com ele, e é como se estivéssemos em uma academia; a sala é como uma academia, onde ele está constantemente comendo bananas e apenas coisas saudáveis. Ele está se alongando o tempo todo e é só para conseguir fazer manobras, é o que ele diz. Ele fica tipo, “Eu só tenho que fazer o que posso para conseguir tricks.” Faça tudo o que puder para fazer do jeito que ele imaginou. Ele é totalmente obsessivo com isso e é muito legal; Eu gosto disso.

Influências Andrew Reynolds Skateboarding

Em entrevista para a série online “Free Lunch (Almoço Grátis)”, produzida pelo Canal RIDE, Reynolds afirmou sobre Hawk:

… e então Tony é apenas, tipo, Tony Hawk. Basicamente ele diz: “Você pode ser um skatista e assumir tudo e usar o skate para ser um empresário, um modelo para os jovens.” Ele é simplesmente o melhor. E ele ligou para minha casa quando eu tinha quinze anos, e perguntou; “Quer fazer alguma coisa com a gente?”, Sem saber nada sobre mim. Sim, Tony é o cara. Claro, ele é o melhor.

Em 2012, Reynolds recrutou o filho de Hawk, Riley Hawk para Baker e explicou o processo em uma entrevista online:

… Eu pensei; “é meio melindroso, sabe o que quero dizer, tipo?” É meio estranho, sabe? O filho de Tony, ele anda para Birdhouse. Mas eu olho para ele e o imagino na Baker, sabe o que quero dizer? Então, nós abordamos Tony e dissemos; “Queremos falar com Riley sobre talvez conseguir para ele algumas shapes Baker ou algo assim.” E Tony disse: “Cara, ele está louco. Ele tem dezenove anos. Depende muito dele. Vocês falem com ele.” Então nós meio que dissemos: “Você quer pegar alguns shapes?” Ele fica tipo, “Estou caído, cara!” E pelo jeito eu vejo, não haveria Baker sem Tony e Birdhouse. Eu sei que é um processo contínuo, sabe? Tony desiste para começar a Birdhouse. Eu parei para começar Baker. Meus caras desistiram para começar uma nova marca. Isto é apenas uma coisa contínua.

Sobre Mark Gonzales, Andrew Reynolds declarou:

Gonz é o skatista mais influente de todos os tempos, sem dúvida. Mark Gonzales criou como andar de skate de rua, fazendo corrimãos e coisas que ninguém nunca fez. Quando as pessoas estavam fazendo um boardslide no rail e achavam isso muito louco, ele estava fazendo 180 nosegrinds e 180 fakie 50-50s. O melhor e mais técnico skatista até hoje, fazendo as manobras mais difíceis, além do que qualquer um poderia pensar, não está fazendo o que Gonz estava fazendo, então, simplesmente não é.

Influência

Em dezembro de 2011, Reynolds foi identificado como o décimo skatista mais influente de todos os tempos pela revista Transworld Skateboarding. O skatista profissional, amigo e colega de equipe Braydon Szafranski declarou:

“Você é um idiota completo se não acha que Andrew é o melhor patinador do mundo. Todos os dias ele faz manobras que eu nunca o vi fazer , e eu o conheço há, tipo, seis anos. “Skatista profissional, companheiro de equipe, artista e proprietário da empresa Ed Templeton declarou: “Não sei como ele consegue. Não sei como ele pula nas coisas que pula, ano após ano, e, e, ainda ser tipo … eu não sei – para mim, é chocante. Ele tem sido o número um por tanto tempo, que é alucinante neste momento. “

O companheiro de equipe de Emerica,  Jerry Hsu, também expressou sua admiração por Reynolds:

Ele só tem, tipo, uma obsessão muito legal com o skate … é como estar perto de uma criança … contanto que você esteja focado em andar de skate, você pode fazer o que quiser. Você pode … Ele é muito bom. Ele faz um monte de merdas malucas no skate. Tipo, você não acreditaria. Tudo o que ele, tudo o que ele come é fruta. Não sei como ele anda de skate, quando só come frutas e salada … ah, ele come toneladas de vegetais. Ele é maluco.

Em abril de 2013, o artista e skatista Logan Yuzna fez “Skate Like Andrew Reynolds”, um videoclipe dedicado à influência de Reynolds no skate que foi apresentado no site da empresa de skates Baker Skateboards e plataformas de mídia social.

Em julho de 2013, o skatista profissional Paul Rodriguez incluiu Reynolds em sua lista dos “dez melhores” dos skatistas profissionais favoritos, explicando: “Se você me perguntar, ninguém pula escadas enormes e desce melhor do que Reynolds. Ninguém faz isso com melhor estilo, mais graça, ou mais controle … Ele é outro cara com um estilo incrível. Ele é tudo que você poderia pedir no skatista profissional mais imaculado. ” [32]

Jogos de vídeo

O perfil do skateboarding de Reynolds foi apresentado no videogame Tony Hawk’s Pro Skater original . Ele posteriormente foi apresentado na maioria dos seguintes jogos da série . Fora da série Tony Hawk , Reynolds foi destaque no Skate 3 da EA .

Prêmios

Reynolds ganhou Revista Thrasher ‘s Skater of the Year award em 1998. Por sua parte de vídeo no vídeo 2010 skate ficar ouro, produzido pela marca Emerica, Reynolds recebeu Transworld Skateboarding prêmio da revista de “Melhor Vídeo Parte” em 2011.

Vida pessoal do Andrew Reynolds! Not so good!

Desde outubro de 2012, Reynolds não bebeu ou consumiu drogas por dez anos após um período de uso problemático de drogas ilícitas e lícitas em seus vinte e poucos anos. Ele também parou de fumar depois que sua única filha nasceu, de sua ex-esposa Christianna Reynolds.

Em resposta à pergunta “O que em particular fez com que você ficasse sóbrio?” em uma entrevista de 2011, Reynolds respondeu:

Cocaína – apenas mexer com drogas pesadas e não conseguir parar. Minha bebida estava fora de controle; Eu não conseguia beber uma cerveja sem acabar desmaiando e usando drogas. Isso aconteceria uma e outra vez. Provavelmente de dezessete a vinte e quatro anos, eu simplesmente não sabia como controlar minha ingestão de drogas ou álcool. Acontece apenas com certas pessoas. Ou você é assim ou não é, sabe? Fumei maconha como se minha vida dependesse disso. Então, um dia, acordei e soube que era um problema. As coisas difíceis – eu sabia que não deveria mexer com isso.

Ele expressou que sua inspiração é sua família. Em uma entrevista em setembro de 2014, Reynolds expressou preocupação com a influência que o comportamento gravado de “Baker, Pissdrunx e toda a nossa multidão” pode ter exercido sobre jovens espectadores e fãs. Reynolds explicou que ele “gostaria de tentar consertar isso” tanto quanto possível e acrescentou: “Acho que é um bom trabalho para mim.”

Em 2008, Reynolds residia em Hollywood, Califórnia, com sua filha, Stella, que em 2019 era uma skatista amadora em ascensão. No entanto, em 2012, um relatório afirmava que Reynolds havia se divorciado e posteriormente vendido a casa de Hollywood, bem como seu Cadillac, em um processo de simplificação. Em resposta às mudanças de vida pelas quais Reynolds passou na velhice, Regan declarou: “É assim que ele simplifica as coisas. Se você quer o que ele tem, faça o que ele faz.”

Em uma entrevista de 2012, Reynolds revelou a origem de seu apelido “The Boss”:

É apenas um apelido que o skatista profissional Jim Greco deu. Eu acho que crescendo assistindo a filmes e documentários da Máfia, sempre tem que ser um chefe. Eu tinha um Cadillac, era apenas pequenas coisas. Eu tinha um apartamento; Jim estava tipo, “Ele é o chefe”. É isso. E então ele simplesmente continuou depois disso. Eu não participo disso. Eu não saio por aí falando “Eu sou o chefe”, sabe? Eu não me importo, tanto faz.

Filme

Reynolds esteve envolvido com projetos de filmes em um nível menor. Estrelou o curta Shadows (2000) e o longa Cop and 1/2 (1993), neste último como “The Skateboard Kid”. Ele também foi um dublê no documentário Collage (2001).

Síntese Andrew Reynolds Bydeco!

Esta é uma história de um menino que nos influenciou em muita coisa, principalmente nas atitudes que o skate representa. O Psycho Skate já era um supra sumo do que o skate representava na época e apontava como seria no futuro e Reynolds captou isto na veia, pois tinha tudo a ver com sua índole irrequieta e que só o skate o quietava. E como toda história bonita, se tornou um skatista profissional aclamado e fez o que todo skatista gostaria de fazer; viver de skate com os amigos, graças ao seu street skate essência de uma nação.

Mas a vida não é uma brincadeira, ainda mais quando se brinca com drogas. Porque ela te dá prazer, você paga pra te-lo e depois ela não te deixa mais. A não ser que você se reencontre sozinho. E não tem família nem igreja que te faça isto, só você!

Assistas mais Filmes/Documentários/Trailers de skate aqui no Grito da Rua! Yeah!

Inscreva-se no Grito News!
Com as Novas do Skate!
Share
Badeco Dardenne

Nos anos 70 era surfista e andava de skate quando não tinha onda, montou seu primeiro skate pregando os eixos do Patins Torlay na madeirite, andava nas ladeiras do Leblon e filava o skate da galera da Cobal do Humaitá. Andou em Campo Grande, mas no Barramares e no Rio Sul ficava babando. Com a Mustabí Creize, a primeira loja 100% skate, produziu o Circuito DHS Bebe Diabo, para iniciantes e amadores, em Perdizes, Sumaré e na Ladeira do Bosque. Com o Mustabí Team patrocinou o Campeão Overall Renato Cupim e o Chorão do CBJ no Freestyle, entre outros. Foi o produtor e apresentador do Primeiro programa do Skate na TV, O Grito da Rua! Foi co-fundador da USE (União de Skatistas e Empresários). É auto-didata, disléxico e incentivador do skateboard Nacional.

Dá um Grito aqui!

Leave a Reply

Your email address will not be published.

The field is required.